Arquivo do blog

28 de mar de 2011


“Eu só sei que amo verdadeiramente depois de ter esbarrado nas imperfeições do outro, depois de ter conhecido sua pior faceta e mesmo assim continuar reconhecendo-a como parte a que não posso renunciar. Só o amor me faz conviver com o precário da vida, com a indigência humana”

2 comentários:

  1. Oi amiga Mary, quanto tempo! Me abandonastes? Sempre mando lembranças pela Paula.
    Belissimo texto.

    Grande abraço, de seu amigo seminarista Felipe

    ResponderExcluir
  2. Olá meu querido amigo. Não te abandonei só não tem dado é para nos encontrarmos ... mas está aqui num cantinho do meu coração.

    Beijinhos
    Deus te abençoe.

    ResponderExcluir