Arquivo do blog

24 de out de 2011


Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. (IICor 1,3-4)

20 de out de 2011

De joelhos te peço...


Se há dias em que tenho a certeza que estás a meu lado,
outros fico na dúvida...
Um dia senti que me pediste: Não vás, fica comigo!
Mudei meu destino, se é que era esse...e resolvi te seguir...!
Hoje sou eu que te peço:
Preciso de ti ! Não me abandones.
Tu és a minha força!!!
MaryZéSilva

12 de out de 2011

13 de Outubro de 1917

Ultima aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos

O momento já é sabido, era meio-dia solar do dia 13 de Outubro de 1917.
Instantes depois, os três videntes vêem o relâmpago e a Lúcia grita: 
- Caluda, caluda ! Já lá vem Nossa Senhora ! Já lá vem Nossa Senhora!...
E a Senhora , pela ultima vez , veio e poisou os seus nevados pés sobre as grinaldas de flores e as fitas com que as mãos piedosas  da Srª  Maria Carreira lhe tinha ornado o pedestal.
O rosto da vidente toma uma expressão sobrenatural ; as feições tornam-se-lhe mais delicadas , o colorido das faces mais mimoso , o olhar mais suave . A Lúcia entra em comunicação directa com o  Divino e não ouve a mãe que lhe diz :
- Vê bem, filha . Olha que não te enganes !
Uma nuvem acinzentada envolve o cândido grupinho como ténue voluta de incenso .
-Que é que Vossemecê me quer? - É a pergunta que a singeleza de Lúcia tem sempre espontânea . 

-Quero dizer-te que façam aqui uma capelinha em minha honra , que sou a Senhora do Rosário , que continuem a rezar o terço todos os dias . A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para as suas casas. 
Fátima- Actual Capelinha das Aparições
 -  Eu tenho muitos pedidos . Quer cumpri-los os não? 
- Alguns sim , outros não - responde a Virgem .- É preciso que se emendem , que peçam perdão dos seus pecados .
 E , tomando um aspecto muito triste , continuou : 
- Não ofendam mais a Nosso Senhor que já está muito ofendido !
- Não quer mais nada de mim? - pergunta por fim a criança.
- Não quero mais nada - respondeu a branca Senhora.
- E eu também não quero mais nada. Diz Lúcia.

E a Senhora do Rosário despediu-se , pela ultima vez , dos seus três confidentes ( Lúcia, Jacinta, Francisco) abriu as mãos , fe-las reflectir aos fulgores solares e , enquanto se elevava , a sua luz não deixava de se projectar no disco luminoso .
A visão era mais brilhante que o sol !
A Lúcia  ,  sem despegar o seu olhar da radiosa Aparição , grita para o povo:
- Lá vai ela ! Lá vai ela ! Lá vai ela ! Olhem para o sol ! 
Junto do astro- rei uma nova Visão deslumbra as privilegiadas crianças .
É São José com o Menino Jesus e Nossa senhora - a Sagrada Familia.
São José , vestido de branco , emergia das nuvens deixando ver apenas a parte superior do tronco . O Menino no seu braço esquerdo , vestia de vermelho e via-se inteiramente. Nossa Senhora estava à direita do sol , de corpo inteiro , vestia de vermelho e com um manto azul que lhe cobria a cabeça e que cai solto .
São José traça por três vezes , no ar azul , uma cruz , abençoando aquela multidão enorme ajoelhada na Cova lamacenta .
Desvanecida esta aparição , outra lhe sucede . É Jesus Cristo , ao lado direito do sol , vestido de vermelho , e sua Mãe Santíssima com as características de Nossa Senhora das Dores , vestida de roxo , mas sem espada no peito.
O Divino redentor lança também a sua benção sobre o povo. 
Apagada esta Visão , parece-lhe ainda à Lúcia ver Nossa Senhora , agora com as características de Nossa Senhora do Carmo , deixando cair qualquer coisa da mão direita..
E as Visões do Céu de Fátima extinguiram-se para sempre...

Enquanto as crianças contemplavam extáticas as celestiais personagens , operava-se diante dos olhos do povo ali reunido e quem a Lúcia grita :- Olhem o sol - o milagre anunciado , estupendo como ninguém teria ousado esperar .
" Agente olhava perfeitamente para o sol- conta-nos o pai da Lúcia - e ele não estorvava . Parecia que se fechasse e alumiasse , uma vez de um jeito e outra de outro . Atirava feixes de luz para um lado e para o outro e pintava tudo de diferentes cores - as árvores e a gente , o chão e o ar . Mas a grande prova é que o sol não fazia perturbação  à vista .
estava tudo quedo , tudo sossegado ; todos com os olhos nos astros .
A certa altura o sol parou e depois começou a dançar , a bailar ; parou outra vez e outra vez começou a dançar , até que por fim se soltasse do Céu e viesse para cima da gente . Foi um momento terrível.
...
Por fim o sol parou e todos deram um suspiro de alívio . Estamos vivos e houvera o milagre que as crianças tinham anunciado.
Sim, dera-se o milagre e não foram só os olhos dos simples e dos humildes que o contemplaram ; mas toda a multidão ( Setenta mil pessoas) ali aglomeradas , crentes e descrentes , dão testemunho do facto singular .
Na impossibilidade de referir aqui por completo o que ficou arquivado nos jornais da época , escolhemos dois trechos dos principais jornais da capital .
Diz- " O Dia "  de 19 de Outubro de 1917.

Meus irmãos;  este texto foi tirado de um livro que me foi deixado de herança por uma pessoa que já partiu...e tem o nome de:
ERA UMA SENHORA MAIS BRILHANTE QUE O SOL. 
P.S. Não sei se esta linda obra  ainda existe à venda, mas procure... Até hoje foi o livro mais belo que li ! Contem relatos pessoais de familiares dos três Videntes e de pessoas daquela época. 
Vou terminar com duas cantiguitas que os Videntes cantarolavam .

Nome de Maria 
Tão bonito é!
Salvai a minha alma
Que ela vossa é.

Senhora doo Carmo 
Mandou-me um recado
Que reze três vezes
Bendito e Louvado.

Bendito e Louvado
Eu hei-de rezar 
Senhora do Carmo
Me há-de ajudar.

Me há-de ajudar
Com todo o valor;
Rainha dos anjos,
Do Céu explendor.

Perguntei aos Anjos 
Se era bem pagada;
Justemos com Ela,
Não queremos soldada.

Não queremos soldada
Nem paga a dinheiro,
Só queremos a benção
De Deus verdadeiro. 

No Céu três mesuras 
Ao peso da cruz;
Rezasse três vezes
Salvai-me, Jesus!..
Salvai-me, Jesus...Salvai-me Jesus!

E AINDA: ó í ó ai

Amo a  Deus no Céu,
Amo-o também na terra;
Amo o campo, as flores,
Amo as ovelhas na serra.

Com os meus cordeirinhos 
Eu aprendi a saltar,
Sou alegria da serra
E sou o lírio do vale.

Sou uma pobre pastora;
Rezo sempre a Maria.
No meio do meu rebanho
Sou o sol do meio dia.

Ó i ó ai !
Quem me dera ver-te agora!
Ó í ó ai !
Meu Jesus, já nesta hora!

Basílica de Fátima. -  Nossa Senhora de Fátima

 

6 de out de 2011

Um “Fui Despedido” Que Alegra O Coração

 Um “Fui Despedido” Que Alegra O Coração

“… esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante” (Filipenses 3:13).

Somerset Maugham, escritor inglês, escreveu certa vez uma história sobre um porteiro da Igreja de São Pedro, em Londres. Um dia um jovem vigário descobriu que o porteiro era analfabeto e o despediu. Desempregado, o homem investiu suas escassas economias em uma minúscula loja. Ele prosperou, comprou outras e, depois de certo tempo, possuía uma cadeia de lojas que valia alguns milhões de dólares. Um dia, seu banqueiro lhe disse: “É verdade que você alcançou sucesso sendo analfabeto, mas, onde estaria hoje se soubesse ler e escrever?” O homem sorriu e, calmamente, respondeu:
“Eu seria um porteiro.”
Essa pequena história, relatada em nossa ilustração, é muito conhecida de todos, contada com muitas variações, e eu quero refletir de um novo ponto de vista: que seríamos hoje se não tivéssemos aberto o coração para Jesus?
Um dia estávamos conformados com aquilo que o mundo nos oferece. Festas, bebidas, vícios em geral, às vezes sucesso aqui e fracasso ali, às vezes uma alegria passageira e outras vezes angústias e decepções. Era essa a nossa vida e achávamos que era assim com todo o mundo e não seria diferente connosco.
Mas algo aconteceu! O Senhor apareceu e nos “despediu” daquele mundo enganoso. Alguns diziam que a nova vida seria entediante — não pode isso, não pode aquilo, e os prazeres cessariam. Não estaríamos mais livres para fazer o que queríamos.
É claro que logo descobrimos que isso não era verdade. Passamos, sim, a ser livres! Livres para viver
abundantemente, livres para cantar e sorrir, não de forma passageira, mas duradoura, eterna. Encontramos a verdadeira paz e a verdadeira felicidade.
E hoje, mesmo que não nos perguntem, respondemos interiormente, com grande gozo na alma: Que maravilha foi, para mim, ter sido despedido daquele passado insignificante.
Foi a maior bênção de minha vida. Como sou feliz!



Esta reflexão assenta-me que nem uma luva!!! 
As cicatrizes podem ficar ...
mas se aceitarmos 
que Deus tem um propósito por trás de cada problema...
Nada é impossível de ultrapassar.
MaryZé